Portal da Cidade Toledo

limpeza

Toledo assina contrato para limpar lotes baldios públicos

Empresa vencedora de pregão realizará roçada e retirada de móveis e pequenos materiais de terrenos baldios de terceiros e de imóveis do município

Postado em 06/05/2020 às 11:00 |

Foi assinado nesta segunda-feira (4) contrato celebrado entre a Prefeitura de Toledo e a Planeje Construtora e Empreendimentos, empresa vencedora do Pregão Presencial 46/2020 para realizar o serviço de limpeza em terrenos baldios. Ao todo, estão previstos reparos (incluindo remoção de entulhos inservíveis [exceto entulhos de construção civil], acabamento e limpeza de sarjeta, calçada e meio-fio) de 3.060.595,38 metros quadrados (área equivalente a 306 campos de futebol), sendo que 2.970.595,38 metros quadrados se tratam de propriedades pertencentes ao município.

O restante - 90 mil metros quadrados - será realizado em lotes baldios de terceiros, procedimento que será precedido por notificação e negativa de execução por parte do proprietário. O valor global do contrato, com validade de 12 meses, é de R$ 302.908,94.

De acordo com o secretário de Administração, Moacir Neodi Vanzzo, os trabalhos da empresa contratada terão início na próxima segunda-feira (11). “Vamos priorizar os terrenos da prefeitura que foram motivo de reclamações dos moradores feitas à Ouvidoria. Nossa ideia é fazer um arrastão para amenizar o mais rapidamente possível este problema, acabando com o mato alto e retirando móveis velhos e materiais recicláveis”, destaca.

Em seguida, estes mesmos serviços serão realizados em lotes de particulares que já foram notificados pelos fiscais da Secretaria do Desenvolvimento Ambiental e Saneamento. “Quem recebeu ou vier a receber este aviso tem até 10 dias para fazer a limpeza do terreno. Se não cumprir com o estabelecido no Código de Posturas do Municípios, terá cobrança ativa lançada em seu nome pelo município”, observa Vanzzo.

“Este trabalho tem como foco principal o combate à dengue, pois muitos materiais depositados nestes terrenos onde há mato alto serve de criadouro para o Aedes aegypti”, salienta o secretário.

Fonte:

Deixe seu comentário