Portal da Cidade Toledo

operação

Mega Operação contra furto de eletricidade em Toledo

O furto de energia é um crime grave pelo prejuízo financeiro que causa aos cofres públicos e à população, que acaba arcando com uma tarifa mais cara.

Postado em 05/12/2018 às 14:11 |

Na primeira fase da operação, cinco pessoas foram presas por fraudar medidores de energia elétrica, durante ação conjunta realizada pelo Ministério Público do Paraná, Copel e Polícia Militar.

A Operação Tensão Total foi deflagrada no dia 18 de outubro para apurar furtos de energia. O trabalho foi conduzido pelas 1ª e 4ª Promotorias de Justiça da comarca, que têm atribuição nas áreas Criminal e de Proteção do Patrimônio Público, respectivamente.

Para dar Sequência a esse trabalho que foi desenvolvido na primeira fase, nesta quarta-feira (5), foi assinado um documento para estabelecer a integração dos protocolos entre o Ministério Público do Paraná, Copel e Polícia Militar. Por falta dessa integração não houve a comunicação devida entre os órgãos na 1ª fase da operação, a expectativa é que com a integração dos protocolos, tenha um aumento exponencial das atuações de prisões em flagrante.

Segundo O Promotor de Justiça Sandres Sponholz,  

Sandres Sponholz - Promotor de Justiça

Prejuízo a todos

No aspecto de prejuízo são duas situações: “Prejuízo a copel, por força dessas fraudes e indiretamente uma questão social que envolve o prejuízo a própria coletividade. Esse prejuízo por forças das normativas que regem a tarifação do consumo de energia elétrica ele acaba sendo repassado para o consumidor. São elevadíssimos valores de fraudes que estão sendo repassados para nossa comarca e indo para o bolso de pessoas honestas”.

Sandres Sponholz - Promotor de Justiça

A intenção prioritária não é prisão de pessoas, a prioridade é que paguem o justo valor da tarifa daquilo que efetivamente é consumido.

CRIME É considerado crime fazer gato na rede de energia ou alterar o medidor. Contudo, é preciso definir o tipo de penalidade cometida pelo autor do fato. Ele poderá ser denunciado pelo crime de furto ou de estelionato. Conforme o comportamento do autor será definido o tipo de crime. Por exemplo, se a ligação clandestina for realizada antes que passe pelo relógio medidor é considerado como crime de furto. Porém, se o caso envolver alterações nas características do medidor, com o intuito de pagar um valor menor pelo consumo no fim do mês, é configurado como crime de estelionato.

Fonte:

Deixe seu comentário