Portal da Cidade Toledo

leite

Produção leiteira ganha metodologia italiana para identificar novos cenários

Governança Foresight Leite e Derivados reúne produtores, cooperativas e empresários da área para projetar o futuro da cadeia produtiva

Postado em 21/02/2019 às 10:47 |

Entender as perspectivas do presente e projetar ações, estratégias e investimentos para o futuro da cadeira produtiva de leite no oeste do Paraná. Com este objetivo foi lançada nesta segunda-feira (18), a governança Foresight Leite e Derivados, formada por entidades, produtores, cooperativas, empresários da área de laticínios e similares da região.


O projeto, que conta com a participação do Sebrae/PR, Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), Biopark, Adapar, Iapar, PTI, Emater, Senai,  AcicLabs, PUC, Unioeste, Frimesa e associações comerciais de Foz do Iguaçu e Toledo (Acifi e Acit), pretende fomentar a cooperação entre os produtores, o uso de novas tecnologias e dar suporte para a criação de novos produtos derivados do leite, agregando valor à produção.


“Partindo do pressuposto de que o desenvolvimento e a difusão de novas tecnologias são essenciais para o crescimento da produção e produtividade, a metodologia de Previsão de Cenário Tecnológico Foresight, em parceria com o Centro Tecnológico Cosmob, na Itália, visa uma estratégia setorial, aumentando a competividade da cadeia produtiva de leite e derivados. Da Europa, queremos trazer essa estratégia para a nossa realidade, a fim de fortalecer o setor e a economia regional”, explica o consultor do Sebrae/PR, Edson Braga.

 

Metodologia


Foresight é uma palavra em inglês que significa previsão. Aplicada especificamente à cadeia produtiva de leite e derivados, remete à definição de estratégias que podem ajudar o produtor a manter a sua rentabilidade e produtividade, mesmo diante de mudanças de perspectiva, clima e cenários econômicos.


O consultor Emílio Beltrami, italiano e membro do Centro Tecnológico Cosmob, é um dos responsáveis por trazer a metodologia. Segundo ele, o trabalho da governança será de extrema relevância para promover a competividade do produto local.


“Precisamos começar a tratar temas estratégicos que estão por vir para anteciparmos possíveis mudanças no setor e no mercado. O Foresight vai atuar na definição de variados cenários para promover a competividade. Com a parceria no projeto, vamos trazer uma tendência que tem sido muito observada na Europa, que é focada na sustentabilidade e na diversificação de produto. Para isso, precisamos entender quais são as tecnologias que precisamos inserir na cadeia produtiva para alcançar esta qualidade e abordagem mais sustentável”, indica Beltrami.


Para a representante da Cooperativa Central de Leite da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Oeste do Paraná (Siscooplaf), Maria Matilde Machado, a governança e a experiência trazida da Itália serão importantes para unir a categoria e fortalecer a cadeia produtiva.


“Temos percebido que, apesar da grande produtividade, a cadeia leiteira vem decaindo no Paraná. Por isso, o Foresight será uma oportunidade para que tenhamos um grupo pensante com o compromisso de planejar possíveis melhorias para o nosso setor. É uma chance que nós, aqui da região oeste, estamos tendo para aumentar a nossa competividade, levando mais tecnologia para a produção e gerando mais produtos para o consumidor final”, pontua.

 

Perspectivas


O Paraná é o terceiro maior produtor de leite do país, segundo o Departamento de Economia Rural (Deral) da Seab (Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná). A produção média é de 4,73 bilhões de litros por ano, correspondendo a 14,07% da produção nacional, segundo dados publicados no Anuário do Leite da Embrapa. A partir de 2017, porém, a recessão econômica afetou o consumo de produtos lácteos mais elaborados, reduzindo o preço da matéria prima e, consequentemente, afetando o ganho dos produtores.


Com a metodologia do Foresight, o objetivo é planejar estratégias e buscar tecnologias que possam melhorar três dos principais fatores da cadeia leiteira: maior qualidade do leite; diminuição do custo de produção por meio da utilização de novas tecnologias e melhoria na logística de atendimento ao mercado de forma competitiva e organizada com uma proposta de governança setorial.


“O projeto é fruto de uma parceria internacional que temos com o Cosmob, que traz a tecnologia italiana do Foresight. A qualquer momento, novos parceiros e novas lideranças locais poderão participar. É um projeto aberto e colaborativo. Nosso grande objetivo é, ao fim do ano, termos um plano de inovação para a cadeia do leite e com a experiência trazida da União Europeia”, conclui a coordenadora estadual da indústria do Sebrae/PR, Adriana Kalinowski.


Para mais informações sobre a governança Foresight Leite e Derivados, produtores, cooperativas e empresários da área de laticínios e similares poderão entrar em contato com o escritório do Sebrae/PR em Cascavel pelo telefone (45) 3321-7050.

Fonte:

Deixe seu comentário