Portal da Cidade Toledo

sarampo

Vigilância Epidemiológica alerta população sobre Sarampo

Vacinas para faixa etária de 1 a 49 anos estão disponíveis nas unidades básicas de saúde do município

Postado em 05/08/2019 às 11:32 |

Em virtude do aparecimento de casos de sarampo na cidade de São Paulo, que já passam de 600 casos confirmados, a Vigilância Epidemiológica de Toledo está emitindo um alerta para que toda a população verifique seu estado vacinal.

As orientações partiram da Coordenação Estadual de Saúde do Estado do Paraná por meio de videoconferência realizada na manhã desta sexta-feira (02) com todos os municípios da 20ª Regional de Saúde.

Segundo a Enfermeira da Vigilância Epidemiológica de Toledo, Cleunice Sarturi, o Sarampo é uma doença que pode passar brandamente de forma tranquila, como podem haver complicações. “Se houver complicações podem ser letais”, alerta a Enfermeira.

Fácil transmissão

O sarampo é uma doença de transmissão viral, transmitida por vias aéreas ou de pessoa a pessoa. Ele é altamente infectante, de fácil transmissibilidade, por isso a vacinação é o meio mais eficaz de proteção. Pessoas não vacinadas devem evitar o deslocamento para áreas de risco.

“A doença transmite muito antes do aparecimento dos sintomas”, informa Cleunice. Para identificar uma pessoa com sarampo podem ser observados os principais sintomas: febre alta mais exantema (manchas avermelhadas no corpo), acompanhadas de tosse, coriza ou conjuntivite.

Vacina

A Secretaria de Saúde de Toledo tem disponível nas unidades básicas de saúde (UBSs) vacina para crianças de 1 ano a 49 anos. Toda pessoa de 1 a 29 anos deve ter no seu cartão de vacinas duas doses de vacina tríplice viral, que protege contra a caxumba, rubéola e sarampo. E de 30 a 49 anos, uma dose de tríplice viral com a mesma proteção.

A Vigilância Epidemiológica esclarece que neste momento a vacinação é somente para esta faixa etária. “Isso não quer dizer que se houver casos no Estado não possa haver alteração na vacinação”.

Cartão de vacinas

É importante comparecer na unidade de saúde com a carteira de vacinas. Caso não conste a tríplice viral no cartão será feita uma investigação nos registros do Sistema Único de Saúde.  

“Uma vez que não localizado o registro é realizada a vacina dentro da faixa etária preconizada. Não temos nenhum caso registrado no Paraná ainda. Pessoas com idade acima de 50 anos estima-se que já tenham sido vacinadas em outros momentos em virtude de grandes campanhas realizadas no passado ou já estiveram em contato com a doença”, explica a Enfermeira da Vigilância.

Tranquilidade

As pessoas podem ficar tranquilas no Paraná enquanto não houver nenhum caso confirmado e se estiverem vacinadas. “Caso ocorra algum caso confirmado será necessário um rastreamento minucioso de todos os contatos para a realização de bloqueio”, salienta Cleunice.

Ela disse ainda que quem já teve contato com a doença no passado desenvolveu um anticorpo e deve estar imune a doença.

Alerta

Hoje os estados de São Paulo, Roraima, Amazonas são localidades que estão com a doença em evidência no momento. É fundamental que antes de viajar para essas localidades a pessoa esteja com a carteira de vacinação em dia.  

Fonte:

Deixe seu comentário